sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

No silêncio


Amar : Fechei os olhos para não te ver
e a minha boca para não dizer...
E dos meus olhos fechados desceram
lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada nasceram sussuros
e palavras mudas que te dediquei...

2 comentários:

Defensor, O Maldito disse...

...no ampor verdadeiro, basta um mero gesto, um simples olhar para a compreensão do que o outro está sentindo.

L.S. Alves disse...

Gostei da poesia.
Boa sorte com as letras e com a vida.